Convite

Postado por Mariana Monteiro da Silva sexta-feira, 31 de maio de 2013 0 comentários

Infelizmente a chuvinha não nos permitiu praticar yoga no parque. Mas você praticou em casa? Não é por que não acontece a aula no parque que não vamos iniciar bem a semana!

Domingo de feriado prolongado também tem prática de yoga no parque!

Que tal manter toda a tranquilidade de um agradável feriado e praticar yoga logo cedo ao ar livre?
Neste domingo, as 9:30 vamos nos reunir na pista de caminhada no parque Campolim para praticar yoga!!
Fique a vontade em fazer parte desse grupo, apenas leve um apoio para o chão e boa prática!

_/\_ Namaste.

| edit post

Estou bem, obrigada!

Postado por Mariana Monteiro da Silva quarta-feira, 29 de maio de 2013 0 comentários

"Vá em frente, vai ficar tudo bem!"

Me sinto exatamente assim cada vez que vou a médica e ela diz que está tudo perfeitamente bem comigo!

Ontem foi assim também, passei pela consulta como de costume anualmente e ela me disse que tudo está bem comigo, ferro, ferritina, vitamina B12, entre outras coisas!!!

Não preciso de carne para ser saudável, na verdade penso ser bem o contrário!!

Viva a dieta vegetariana!!!!

_/\_ Namaste.

| edit post

Vá em frente, vai ficar tudo bem!

Postado por Mariana Monteiro da Silva segunda-feira, 27 de maio de 2013 0 comentários


Por falta de informação, pessoas ainda têm medo de praticar o vegetarianismo.


Então você decidiu tornar-se vegetariano, mas ainda falta dar aquele último passo. Talvez você ainda consuma algum peixe ou ave "só de vez em quando", ou talvez você ainda coma carnes todos os dias, mas esteja pensando tão seriamente e com tanta convicção sobre o assunto que você já se considera um vegetariano (o que obviamente é um engano). Pensando nisso, o que falta para você fazer a transição final? O que impede as pessoas de darem o último passo em direção ao vegetarianismo, mesmo aquelas que já entenderam, em todas as esferas, que a dieta vegetariana é a melhor escolha?

Na minha observação, a resposta a esta pergunta reside num único sentimento: o medo. Ele é a grande barreira que impede as pessoas de concretizarem a sua decisão, levando-as a criar desculpas para si mesmas ou a aumentar barreiras que poderiam ser transpostas com alguma atitude positiva. Esse medo pode ser o medo de parecer diferente, de ter que enfrentar os amigos ou familiares, de ficar desnutrido, de ter que abrir mão do paladar, entre outros.

Sobre o medo de parecer diferente, existe inclusive o medo de ter que frequentar lugares para os quais a pessoa criou uma ilusão estereotipada e cujo simples pensamento já a remete a uma sensação de temor do diferente ou desconhecido. Um exemplo disso é imaginar, sem nunca ter frequentado um, que todos os restaurantes vegetarianos são lugares onde temos que deixar os sapatos na porta e recitar mantras em sânscrito antes de comer. O que não é necessariamente ruim, mas também não representa a maioria dos estabelecimentos nesse ramo.

Esse é um medo muito fácil de ser resolvido, geralmente com uma simples experiência. Mas acreditem: há pessoas que têm temor de ter uma primeira experiência em um restaurante vegetariano. Por outro lado, a surpresa e satisfação que elas experimentam são proporcionais, haja vista que, com muito sabor e um ambiente acessível à realidade da maioria das pessoas, os restaurantes vegetarianos em geral cumprem bem o papel de dissipar este mito. A mesma experiência, seja num restaurante vegetariano ou na casa de um amigo, pode ser válida para dissipar o mito de que, para se tornar vegetariana, a pessoa terá que abrir mão do paladar.

Ela causa desnutrição?

O medo de ficar desnutrido é sem dúvida um dos maiores medos que se impõe como uma barreira para a transição final.

Na minha experiência no consultório, onde atendo exclusivamente a pacientes que são vegetarianos ou que estão justamente buscando dar esse último passo, eu observo que o que a maioria das pessoas busca é o aval de um profissional especializado que diga a elas: "vá em frente, vai ficar tudo bem".

Elas já tomaram a decisão, já estão prontas, mas falta-lhes libertarem-se da última ponta de apego ou medo do novo e diferente. É claro que a informação é importantíssima para isso, e é para isso que elas me procuram e de fato levam consigo informações que farão toda a diferença para o sucesso da sua dieta vegetariana.

Mas eu também observo em muitos dos meus pacientes que, além da sensação de segurança que somente a informação pode lhes conferir, há também uma sensação de alívio, algo como "que bom que agora eu posso acreditar naquilo que eu já sabia estar certo o tempo todo". E de fato, no campo nutricional, com a informação e cuidado corretos, deixamos para trás o aquilo que poderíamos temer, restando apenas aquilo do que desfrutar!

Seja qual for o medo, a chave está na informação e na coragem de experimentar. Atualmente, a informação sobre o tema está amplamente disponível àqueles que a procurarem. Quanto à coragem, no caso específico de dar o último passo em direção ao vegetarianismo, estamos falando de uma ação ou experimento que oferece poucos riscos.

No campo da nutrição, o experimento está certamente destinado a ser bem-sucedido se for aliado à informação. No campo gastronômico, o maior risco que a pessoa corre é o de aprender os nomes de novos alimentos ou ter que pagar por uma refeição que não a agradou.

Já no campo social, esta é uma área mais delicada, pois há o risco de criar conflitos com pessoas queridas ou ambientes críticos. Mas com algum estudo, a pessoa pode estar preparada para saber argumentar de maneira a minimizar os conflitos e assim guiar as discussões para o caminho da resolução ao invés do caminho do enfrentamento improdutivo.

Com tantas pessoas tornando-se vegetarianas, esta área complexa que é a dos relacionamentos humanos já vem sendo bastante explorada e experimentada no que diz respeito ao tema, por pessoas que provavelmente já passaram por situações muito parecidas com a do novo adepto. Fazendo uso dos diversos fóruns eletrônicos e outras formas de troca de experiências e apoio, os erros e acertos de outros podem servir como um rico aprendizado que ajuda a minimizar os conflitos sociais.

Se você é uma dessas pessoas que ainda não se permitiu dar o último passo, procure lembrar-se do que foi que te motivou desde o início. Se o motivo foi pela sua saúde, você só tem a ganhar em fazer a transição o quanto antes. Os medos de carências nutricionais não passam disso mesmo: medos.

As justificativas criadas por você (ainda que inconscientemente) no intuito de te ajudar a manter a boa saúde estão mais provavelmente adiando esta conquista de um grau superior de saúde. As informações, os estudos científicos e as experiências individuais trazem uma mensagem bastante clara: é possível adotar uma dieta vegetariana em qualquer fase da vida, bastando para isso observar alguns cuidados nutricionais que são relativamente fáceis de serem seguidos. Informe-se e vá em frente!

Se o que te motivou foi uma questão ambiental, é desnecessário dizer que nesse campo estamos correndo contra o tempo e qualquer desculpa que possamos inventar para justificar o apego a uma dieta centrada na carne não ajudará a amenizar o impacto exagerado que exercemos sobre o planeta e que atualmente o coloca à beira da destruição.

O que precisamos é de ação, sobretudo de uma revisão daquelas ações que realizamos ao menos três vezes por dia ao sentarmos à mesa. Cada dia que você adia para dar o próximo passo é um dia em que você cometeu ao menos três erros perfeitamente evitáveis que afetam diretamente a saúde do planeta.

Se o motivo que te despertou para o vegetarianismo foi a questão animal, é desnecessário dizer que cada dia que você perpetua a sua racionalização para buscar justificar a sua impossibilidade em parar de comer carne é um dia fatal para os animais. E para esses, assim como para o planeta, as suas desculpas são sem efeito.

Você tem o poder para fazer a mudança que deseja fazer em sua vida e o último passo está logo aí, bem à sua frente. Basta munir-se de informação, despir-se dos medos e caminhar, um grande passo a cada dia. Você não demorará a descobrir que a caminhada não é apenas mais fácil do que você imaginava.

Ela é também repleta de surpresas e ganhos diversos pelos quais você nem esperava, pois se mantinham encobertos pelos medos que você outrora cultivava. Este último passo em direção ao vegetarianismo é, na verdade, apenas um dos primeiros passos dentre os que podem ser considerados essenciais para trilhar o caminho da saúde, da consciência ambiental e do respeito a todas as formas de vida.

Por George Guimarães (nutricionista especializado em dietas vegetarianas.)
Retirado do Cantinho Vegetariano.

| edit post

Meus "filhos"!

Postado por Mariana Monteiro da Silva segunda-feira, 20 de maio de 2013 1 comentários

Amo todos!!!

Olhos de curiosos e pele para acariciar, aqui é só amor e muito carinho, nada de crueldade!!! (cruelty free)






| edit post

Aula 19 de maio

Postado por Mariana Monteiro da Silva domingo, 19 de maio de 2013 0 comentários

Manhã agradável hoje!!!
Grata a todos que participaram!!!


_/\_ Namaste.

| edit post

Convite

Postado por Mariana Monteiro da Silva sexta-feira, 17 de maio de 2013 0 comentários

Domingo dia 19 de maio tem yoga no parque Campolim as 9:30. Vamos praticar?

Convide seus amigos e familiares e juntos vamos começar bem o domingo!
A prática é gratuita, não precisa se inscrever, é só chegar com seu apoio para o chão, como um mat, toalha, canga, colchonete e praticar, todos são bem vindos!

Até domingo!
_/\_ Namaste.

| edit post

Pra que toda essa agitação?

Postado por Mariana Monteiro da Silva quinta-feira, 16 de maio de 2013 0 comentários

Tive a inspiração de escrever sobre isso com base no que uma aluna me disse esta semana no final da aula. Em sua primeira aula quando terminamos costumo perguntar se a prática foi agradável, se tem dúvidas...e ela me disse que é bem ansiosa e que achou que não ia fluir muito bem a aula e que adorou! E terminou nossa conversa dizendo "Pra que se agitar tanto né?"

Ouço de muitas alunas que acham que não vão conseguir praticar yoga por serem muito agitadas, muito ansiosas e que a prática é muito parada para elas. Normalmente no fim da aula elas adoram e acabam na maioria das vezes retornando. 

A correria do dia-a-dia para algumas pessoas acaba sendo grande. O trânsito que não flui, um atraso acaba enrolando o dia todo, a carga excessiva de trabalho, entre outras coisas fazem com que o estresse aconteça e não passe, resultando em inúmeras consequências como tensão no corpo, mente inquieta, respiração incorreta...

E o que a prática de yoga tem a ver com tudo isso?

Para os ja praticantes de yoga eu nem precisaria explicar, eles vivenciam seus benefícios todo dia, afinal o que aprendemos em uma prática dificilmente não levamos para o nosso dia, mas se você ainda não iniciou a sua prática vou destacar alguns benefícios, pois ficaria o dia todo escrevendo suas consequências.

Durante uma aula de yoga procuramos focar nossa atenção apenas naquele momento, deixando que todas as coisas que acontecem ao nosso redor e nossos pensamentos aconteçam e passem. Com isso ja estamos melhorando nossa atenção e nossa concentração.

Os pranayamas (controle respiratório) fazem com que essa atenção melhore ainda mais, sem contar que todo o corpo se beneficía, inclusive as células!

Os asanas (posturas) trazem a tona as emoções, e é muito importante ouvi-las e deixar que aconteçam, de vez em quando percebo que alguma aluna está chorando durante a aula, e isso é importante, deixar os sentimentos fluirem.

As posturas invertidas (são posturas em que quadris se mantem em um nível mais alto que a cabeça, e não pense que são apenas aquelas em que você se mantem de ponta cabeça!) auxiliam a enxergar as coisas de uma outra maneira.

As posturas de torções também fazem com que a visão seja para os lados e não apenas para frente, sem ver as coisas ao redor.

Equilíbrio é trabalhando também nas aulas, melhorando equilíbrio físico e mental, o que nos dias de hoje é super bem vindo!

Fortalecimento da região abdominal e lombar acontece e é importante esse fortalecimento (não estou me referindo a barriga tanquinho, estou falando de força no abdômen) principalmente para quem fica muito tempo sentado durante o dia, o que pode resultar em má postura e aquela barriguinha indesejada, o que pode ser prejudicial à saúde e também comprometer a estética.

As posturas que envolvem uma grande expansão no peito, ajudam a aumentar nossa coragem, nossa força interna e melhora também a autoestima.

Sem contar no momento que meditamos, agora estou falando daquele momento que apenas focamos a respiração, pois yoga é meditação. Que momento gostoso! Alinhar a coluna, descansar a mente, não focar pensamentos, e olhe que nesse momento ele vem com uma força danada, parece que é só ver que estamos quietinhas, só nos conhecendo, nos observando que ele se instala e faz de tudo pra chamar a atenção, uma coceirinha aqui, um desconforto ali...

As consequências de meditar são muitas! Reduz estresse, melhora o fluxo respiratório, os problemas são resolvidos com mais facilidade, a ansiedade diminui e com isso tudo flui de maneira mais calma e tranquila!

Como dizia Marcos Rojo professor da minha pós graduação, "Com o yoga você terá paciência suficiente para esperar um próximo ônibus que acabou de perder, ou energia suficiente para correr atrás de um."

Hoje ja é comprovado que a prática de yoga em pacientes com câncer e outras doenças melhora o tratamento.

Acho que não custa tentar praticar não é?!

Boa prática!
_/\_ Namaste.

| edit post

Yoga para todos

Postado por Mariana Monteiro da Silva quarta-feira, 15 de maio de 2013 0 comentários

Yoga é para todos!

O yoga é uma filosofia de vida que se enquadra na vida de todos.

Pessoas sem nenhuma limitação percebem suas consequências assim como portadores de alguma deficiência física.

Vi um vídeo ha algum tempo de um professor de yoga que tinha problemas visuais, e me lembro de um relato de um professor na minha pós que após sofrer um acidente e permanecendo na cama por algum tempo, praticava as posturas de torções segurando na cabeceira da cama, ele cita: "Acho que, quanto maiores as limitações ou dificuldades de uma pessoa, tanto mais ela tem a ganhar com o yoga, e quanto mais vemos o progresso, mais gratificante se torna nosso trabalho. Além disso, vejo que muitos sequer procuram o yoga por terem a pré-concepção de que não são aptos para a prática, sendo isto reforçado pela tendência pragmática e competitiva da nossa cultura que nos induz a vincular a qualidade de uma prática ao que se faz ou, pior ainda, ao quanto se faz. Gosto de ajuda-los a perceber que ainda mais importante é o "como se faz", e que, se eles sentirem bem-estar e serenidade ao final da prática, podendo trabalhar com consciência e logrando benefícios, por que não fazê-la, mesmo que externamente pareçam estar fazendo muito pouco? Já publiquei um trabalho na Índia sobre yoga com deficientes físicos evidenciando benefícios que não podem ser ignorados e gostaria de ver esta mensagem se difundindo, pois quem mais precisa do yoga continua sendo normalmente excluído". (Gerson D' Addio).

E não só professores como alunos com deficiência praticam yoga. 
Por exemplo, um aluno com deficiência visual praticará todos os asanas, as posturas apenas precisam ser muito detalhadas para que ele entenda com perfeição como executá-las. Um aluno cadeirante, pode praticar as posturas de torções na própria cadeira de rodas, assim como as posturas de extensão e flexão. Os asanas que envolvem alongamentos laterias podem ser feitas também na cadeira de rodas.
Para as pessoas que tem limitações nas pernas, as invertidas serão feitas com o auxílio de uma parede para que ela consiga relaxar as pernas na mesma, nessa postura talvez o professor tenha que auxiliar dando suporte para manter as pernas na parede.

Seja qual for a deficiência, a prática de yoga é importante para todos e para esse grupo especial é muito válida também, uma vez que irão perceber todas as consequências dos asanas e resgatar a confiança, a auto-estima e a coragem.


Boa prática!
_/\_ Namaste.

| edit post

Aula dia 12 de maio

Postado por Mariana Monteiro da Silva segunda-feira, 13 de maio de 2013 0 comentários

Nossa prática no Dia das Mães!

Algumas mães acompanhadas de seus filhos participaram!
Obrigada pela presença de todos!
_/\_ Namaste

| edit post

Convite

Postado por Mariana Monteiro da Silva sexta-feira, 10 de maio de 2013 0 comentários

Domingo é dia das mães! 

Que tal iniciar esse dia praticando yoga com sua mãe ou com sua filha (o)?
Vocês precisam apenas levar um apoio para o chão e praticar yoga as 9:30 na pista de caminhada no parque Campolim!
Vamos lá!?

Até domingo!
_/\_ Namaste.

| edit post

Arroz de Forno

Postado por Mariana Monteiro da Silva quarta-feira, 8 de maio de 2013 1 comentários

De vez em quando meu pai resolve fazer esse arroz de forno em casa!
É bem simples e fica uma delícia!

Ingredientes:
1 latinha de milho.
1 latinha de ervilha.
1 vidro de palmito. Se preferir ja picados.
Azeitonas à gosto.
Tomates em cubos.
Queijo de sua preferência.
Molho de tomate.
Arroz.
Tempero à gosto para preparo do arroz.

Modo de preparo:
Faça o arroz como ja está acostumada. Quando pronto misture o milho, a ervilha, o palmito, azeitonas, e os tomates, misture bem. Coloque em uma forma e acrescente uma camada de molho vermelho e uma camada de queijo. Leve ao forno apenas para que o queijo derreta.
Pronto, é só servir!

Bom apetite! 

| edit post

Prática dia 05 de maio

Postado por Mariana Monteiro da Silva domingo, 5 de maio de 2013 0 comentários

Nosso encontro para praticar yoga hoje logo pela manhã!


Grata a todos que participaram!
Domingo que vem tem mais prática!

_/\_ Namaste.

| edit post

Convite

Postado por Mariana Monteiro da Silva sexta-feira, 3 de maio de 2013 0 comentários

Que tal iniciar bem a semana praticando yoga ao ar livre?

Domingo tem yoga no parque Campolim as 9:30. A aula é gratuita, é só chegar com seu apoio para o chão e praticar!
Você aquieta um pouquinho a mente e tudo irá fluir melhor!
Vamos tentar?

_/\_ Namaste.

| edit post

QUEM SOU EU?

Minha foto
Mariana Monteiro da Silva
Meu nome é Mariana, sou bacharel em Educação Física pela universidade Uirapuru Superior e pós graduada em Yoga pela FMU.
Meu primeiro contato com a filosofia aconteceu no período da faculdade, e pensei que além de apreciar o yoga como aluna, poderia passar adiante essa filosofia de vida. Ministro práticas há mais de cinco anos.
Sou vegetariana pelos animais desde então, e vejo o bem que fiz não só a eles, mas ao planeta também!

_/\_ Namaste.
Visualizar meu perfil completo

SEGUIDORES